Você sabia que é muito mais barato e rápido utilizar impressão 3D no seu projeto? Nesse artigo vamos mostrar o custo de cada tipo de impressão e alguns exemplos reais onde a impressão 3D reduz tempo e dinheiro na indústria. Caso não conheça os tipos de impressão, pare a leitura desse texto imediatamente e leia o texto Uma Introdução a Impressão 3D, mas não esqueça de voltar para esse, ok?

 

Para calcular o custo da impressão 3D, vamos focar no custo do material e não no custo da impressora, porque varia muito de modelo para modelo e o foco aqui é precificar projetos.

Vamos começar pela forma mais recorrente de impressão: a modelagem por fusão e depósito (FDM). O custo desse tipo de impressão é basicamente o gasto com material e a matéria-prima é vendida por quilo. Por isso, você deve estar ciente sobre o peso do objeto que você deseja imprimir e calcular com base no preço do material utilizado. Geralmente, o software de modelagem adianta esse valor.

Segundo o site da MakerBot, um quilograma de filamento de plástico ABS ou PLA para a impressão custa aproximadamente US$ 48, ou R$ 96. No Brasil, é possível encontrar esse mesmo filamento pela mesma faixa de preço ou um pouco mais, em torno de R$ 150.

Utilizando uma média de R$ 150 por quilograma, temos um custo aproximado de R$ 0,15 por grama. Se considerarmos que os objetos impressos são muito leves (se o seu interior for oco), temos um custo relativamente baixo por impressão.

Para se ter ideia, a TECMEC imprimiu uma engrenagem de 72 mm diâmetro para teste e pesou aproximadamente 16,2 g, resultando em um custo de impressão de aproximadamente R$ 2,50, o que na indústria sairia seguramente mais de R$ 200.

Já para outros modelos de impressoras, como a Estereolitografia, o custo da matéria-prima é um pouco maior. A resina líquida é vendida por aproximadamente US$ 149 (cerca de R$ 300) o litro, de acordo com o Formlabs – que fabrica esse modelo de impressora.

Calcular o custo nas impressoras de Sinterização seletiva a laser é um pouco mais complicado, pois depende de diversos fatores, como o tamanho do objeto, o material utilizado, a qualidade da impressão e o tempo de produção. Desse modo, temos uma variação que pode ir de um real até milhares de reais. Plásticos são muito mais baratos que metais, por exemplo.