A carga térmica consiste na quantidade de energia que deve ser retirada de determinado ambiente para promover conforto térmico aos seus usuários. Essa energia é determinada pelo número de pessoas que utilizam a área, pelos aparelhos que emitem calor e pela posição do ambiente em relação ao sol. A energia é removida com auxílio de um sistema ou equipamento de ar condicionado, mantendo uma temperatura agradável e controlando a qualidade do ar.
Uma importante especialidade da engenharia está em calcular a carga térmica, levando em consideração todos as variáveis presentes em um projeto de climatização. Esse procedimento é de competência do engenheiro mecânico. Por isso, a TECMEC oferece o serviço de cálculo de carga térmica, assim como análises de transferência de calor, projeto de sistemas de climatização e de vazão de fluidos. Todo o cálculo é baseado na norma NB-158 da ABNT, à qual os alunos da Universidade de Brasília tem acesso livre e legalizado.

5.1.2
Willis Carrier

Ainda que o uso de sistemas de ar condicionado seja bastante difundido, um projeto deficiente pode gerar gastos desnecessários com energia e danos à saúde de seus usuários. Um dos problemas está em resfriar o líquido refrigerante. Para isso, o compressor do aparelho precisa de um grande consumo de energia elétrica, uma vez que o aparelho submete o ambiente a uma condição que não aconteceria naturalmente. O líquido refrigerante resfriado retira calor do ambiente no evaporador e depois libera calor para o ambiente externo no condensador. Essa rejeição de calor pode gerar o problema de poluição térmica. Outra variável que deve estar presente no projeto é a necessidade de renovação do ar em circulação no ambiente. Essa renovação é fundamental para manter a qualidade do ar em níveis recomendados pelas organizações de saúde.
Por isso, é importante que o projeto de condicionamento de ar de um cômodo ou ambiente industrial deva ser feito sistematicamente, para que o compressor não seja sobrecarregado, gerando consumo de energia excessivo.
Um marco na história dos sistemas de ar condicionado acontece em 1902, quando o processo de impressão da gráfica Sackett-Wilhelms era constantemente prejudicado pela umidade presente no ambiente que expandia o papel a ser impresso. Para resolver o problema, o engenheiro mecânico Willis Carrier apresentou o Aparato para Tratamento de Ar, com a função de desumidificar o ar enquanto o resfriava. Controle de temperatura de ambientes já existia na época, mas com a adição do controle de umidade, Carrier abriu caminho para todo o campo do serviço de ar condicionado.

Tendo patenteado sua invenção e fundado a Carrier Engineering Corporation em 1915, Carrier também se especializou na pesquisa do condicionamento de ar, elaborando a “Magna Carta da Psicrometria”, o documento mais significativo da história do condicionamento de ar. Esse documento é, até hoje, ferramenta vital para os engenheiros que trabalham com ar condicionado. Com a possibilidade de manter o ambiente propício para a produção, bem como o conforto dos trabalhadores, Carrier teve grande impacto na economia, demonstrando como o espírito inventivo é essencial no sucesso da Engenharia.